Minha dívida no cartão de crédito não para de crescer!

No ano passado, tive problemas financeiros que me impossibilitaram de pagar a fatura do meu cartão de crédito, no valor de R$960,00. Vocês sabem como é… A administradora de cartão de crédito dá corda pra você se enforcar. Quando você menos espera, enrola-se financeiramente e o banco puxa a corda pra te matar de vez!

Já tentei negociar a dívida, mas me disseram que não havia proposta de negociação para mim. Dessa forma, como eu não tinha como pagar, deixei rolar. A partir desse momento, eles transformaram minha vida em um inferno. Ligavam infinitas vezes para o meu celular, minha casa e meu trabalho. Não tinham respeito por minhas colegas de trabalho, as quais eram tratadas com agressões verbais. Enfim, fizeram um verdadeiro terror psicológico comigo, enquanto o que eu apenas queria era uma negociação razoável.

Minha dívida continuou rolando até que, de repente, pararam de ligar. Há um mês, mais ou menos, descobri que meu nome estava no SERASA e SPC. Naquele momento, minha dívida junto ao banco era R$1.060,00. Fiquei feliz, pois tinha o dinheiro. No entanto, a dívida foi parar nas mãos de uma empresa de cobrança. Fiquei boquiaberta ao descobrir que, na verdade, estava devendo quase R$4.000,00.

Recentemente, uma mulher dessa empresa me ligou, muito grossa e mal educada, simplesmente me ameaçou dizendo que, se eu não a atendesse naquele exato momento, iria me processar. E aí, como devo proceder? Gostaria que minha história fosse publicada, pois acredito que existem muitas pessoas na mesma situação e que estão se endividando ainda mais por isso.

Respostas Equipe Confabulemos


Big FishPercebo que você está em uma enrascada e concordo que há muitas pessoas na mesma situação, ou pior, que a sua.

Sobre a dívida atual, o caminho que posso sugerir é você procurar, primeiramente, a empresa de cobrança e tentar, novamente, negociar o valor desta dívida. Em um ano de dívida, caso o valor de R$960,00 tivesse sido corrigido a um juros de 5% ao mês, o valor estaria por volta de R$1.700,00.

Use este número como argumento para esta tentativa de renegociação e faça uma proposta por escrito. Caso a proposta seja negada, peça uma resposta oficial e por escrito sobre a negação.

Qualquer valor acima destes 5% facilmente será considerado crime de usura e você pode contratar um advogado da área cível, que entrará com uma ação revisional para renegociar o valor. Lembre-se de coletar o máximo de informações e documentos sobre o seu caso, para ajudar no processo.

Enquanto isso, aplique os R$1.060,00 e faça um aporte adicional mensal, até acumular aproximadamente R$2.000,00, para pagar a dívida, os custos da ação e o advogado.

Acredito que o mais importante desta situação seja você aproveitar o ocorrido para aprender sobre o poder dos juros. O tempo, aliado a uma alta taxa de juros (as dos cartões de crédito são as piores), podem fazer grandes estragos.

Se você já possuía os R$1.000,00, deveria ter tentado pagar o quanto antes. Se você deixar qualquer tipo de dívida rolar, por menor que sejam os juros, sempre se assustará com o valor após algum tempo.

Lembre-se também que as empresas de cartão de crédito faturam com as empresas cobrando taxas de transação, mas que grande parte do faturamento é fruto do pagamento de juros, pois a possibilidade de parcelar a conta do cartão permite que as pessoas vivam 10 a 20 vezes acima de sua capacidade de pagamento.


hcCaro,

Antes de mais nada, você deveria juntar documentação e provas desse assédio que vem sofrendo ao longo dos tempos. Gravações de celular, testemunhos de colegas. Agressão é crime, independente do motivo. A primeira atitude que você deveria tomar é essa.

Em seguida, munido dessas informações, deveria buscar um advogado para ajudá-lo. Poderia buscar uma compensação por danos morais, já que foi repetidamente assediado e que as pessoas ao seu redor também o foram.

Sobre a dívida, dificilmente posso julgar o mérito do valor, já que não fica claro por quanto tempo os juros rolaram. Independente disso, é óbvio que você vai ter uma boa grana a menos no final. O perigo dos juros compostos multiplicados pelo tempo que passa é esse – e daí a necessidade de prudência.

Veja, meu caro, não foi a administradora de cartão de crédito que deu a corda para que você se enforcasse. Você mesmo pagou pela corda, enrolou-a em seu próprio pescoço e saltou. Talvez por ingenuidade, talvez por desconhecimento, não faz diferença. É sabido que os juros de cartão de crédito são os mais extorsivos de todos. Você poderia ter liquidado essa dívida antes, mas escolheu não fazê-lo. Poderia ter conseguido um empréstimo pré-aprovado no seu banco, ou até mesmo em outra instituição financeira, com juros muito menores e parcelamento em vários meses.

Mas você não fez nada disso. Foi imprudente e resolveu contar com a sorte. Pode até ser que você consiga renegociar sua dívida, no final das contas. Mas vai ter valido a pena? Veja o dinheiro que você vai ter gastado a mais, a energia que você vai ter desprendido, o tempo desperdiçado e todo esse estresse inútil.

Acabe logo com isso. Quanto mais tempo levar, pior. Da próxima vez, seja mais prudente e leia o subtexto.

Espero que dê tudo certo, meu caro.

Cordialmente,

hc


Ayn RandCara amiga,

Infelizmente, não existe solução mágica para o seu problema. Pague suas dívidas! No entanto, acho que existem alguns truques.

Em primeiro lugar, é importante entender que os juros incidentes sobre uma fatura atrasada são exorbitantes. Se você não controlar o monstro, rapidamente ele tomará conta da sua vida. Acredito que os juros de sua dívida girem em torno de 12% ao mês. Apesar de altos, a maioria das pessoas pensa: “oras, eu tenho condições de pagar 12%”. De fato, no início, 12% parecem não machucar tanto, ainda mais quando o valor da fatura é pequeno. No entanto, qualquer valor insignificante pode se tornar um gigante incontrolável quando é alimentado por juros de 12% ao mês.

A matemática não é muito elementar, mas vou lhe ensinar um macete! Memorize para o resto de sua vida: ao dividir o número 70 por uma taxa de juros, você encontrará o tempo aproximado para o dinheiro dobrar. Por exemplo: se os juros do seu cartão de crédito fossem 10% ao mês, ao dividir 70 por 10, você encontrará o número 7, ou seja, em 7 meses sua dívida dobra! Agora, você entende porque tem que pagar rápido? Pense que a dívida dobra a CADA 7 meses. No caso de 12%, a dívida dobra a cada 6 meses, aproximadamente. É algo para ficar com muito medo. Imagine que você perca o controle das coisas e não consiga pagar sua fatura por 3 anos. Nesse período, a sua dívida dobrará 6 vezes – uma vez a cada 6 vezes. Assim, no final das contas, você estará devendo 64 vezes a quantia inicial (2 X 2 X 2 X 2 X 2 X 2 = 64). Uma pequena e inofensiva fatura de R$1.000,00, ao final de 3 anos, será um gigante de R$64.000,00. Se, nessa data, você resolver esperar mais 6 meses, ela dobrará de novo, para R$128.000,00 e assim por diante…

A lição, portanto, é pagar o mais rápido possível, antes que você perca o controle. Com unhas e dentes, você tem de pagar isso logo, para não jogar grandes quantias de dinheiro no lixo. Se não conseguir, atrase outras contas para dar prioridade a essa. É provável que contas como água, luz, telefone e internet tenham juros bem menores do que os 10%/12% do cartão de crédito. Assim, se precisar atrasar essas contas para pagar a fatura do cartão, não pense duas vezes: atrase e pague o cartão de crédito, mas pague para quitar. Caso lance mão desse artifício, sempre se certifique que juros e multas da conta que deixará de pagar sejam menores do que as do seu cartão. Existem muitas dessas contas, pois os juros do cartão são bem altos. O raciocínio é trocar uma dívida por outra mais barata, que cresce mais devagar e lhe dá mais tempo para respirar. Embora a situação ideal seja apenas pagar a dívida, nem que isso exija gastar todas suas poupanças,na ocasião de não conseguir, procure deixar de pagar outras contas, cujos juros acrescidos de multas e taxas sejam menores do que os encargos que paga no cartão e acerte sua dívida com o banco o mais rápido possível. Lembre-se: a coisa cresce rápido e pequenos números pode ganhar muitos zeros, antes que você se dê conta do seu problema.

Conseguir uma negociação seria ótimo. Sugiro que procure orientação do PROCON, para saber como deve proceder nesse aspecto. Lá você também poderá expor os problemas que você teve com desrespeito e mau tratamento.

Espero ter ajudado,

Bjos

Ayn

 

Não deixe de contribuir com sua opinião nos comentários.

Adicionar Comentário

Sobre Nós

Antes de tudo, somos ouvintes. Vamos ouvir tudo, imparcialmente, como um amigo faria. E então vamos dizer o que pensamos a partir de outro ponto de vista: o nosso. E talvez com isso você consiga enxergar tudo de uma outra maneira, e perceba que não, você não está sozinho.

Copyright © 2012 Confabulemos. Desenvolvido por GA

Contato

Envie-nos um Email com sua história, mensagem, opinião e críticas.

Siga-nos: Twitter | Facebook